Dia do Bibliotecário/a

No Brasil, o Dia do Bibliotecário vem sendo comemorado em 12 de março desde 1958, em homenagem ao aniversário de nascimento do escritor e poeta Manoel Bastos Tigre, verdadeiro pilar da Biblioteconomia brasileira. Entretanto, só foi devidamente regulamentado com o Decreto nº 84.631, de 12 de abril de 1980.

Mas quem é este profissional e o que ele faz exatamente? De uma forma mais ampla, o bibliotecário é um profissional, de nível superior, que trata a informação e a torna acessível ao usuário final, independente do suporte informacional. Sendo assim, A Escola de Saúde Pública de Santa Catarina (ESP/SC) enquanto ambiente de ensino e aprendizagem, conta, em seu quadro de funcionários, com profissionais formados e pós-graduados nesta área.

Mas,a responsabilidade do bibliotecário é bem mais abrangente. Ele também é um facilitador da informação e os bibliotecários da área da saúde são, sem dúvida, “profissionais privilegiados”, pois trabalham em diferentes ambientes, tais como: em bibliotecas universitárias da área, em hospitais públicos, hospitais escola, consultorias em projetos, revisão e orientação de trabalhos científicos, periódicos científicos, etc., com atividades diferentes e específicas em cada setor.

Angela Schmidt da Rosa,especialista em Gestão de Bibliotecas Escolares e com MBA em Gestão da Qualidade e Gestão Ambiental, bibliotecária, atuante no núcleo de Infraestrutura Acadêmica e Pedagógica da ESP/SC, nos ajuda a entender um pouco mais sobre a profissão: “o bibliotecário, vai desenvolver distintas atividades voltadas à informação e ao conhecimento, desde o processamento técnico dos materiais, até a Gestão dos Fluxos de Informação, inserindo-se em qualquer tipo de unidade de informação como, por exemplo, bibliotecas públicas, escolares, empresariais, hospitalares, jurídicas, bancárias, centros de informação e documentação”.

Em uma visão do hoje ao amanhã, o profissional bibliotecário deve arquitetar mecanismos cada vez mais eficazes, de forma a direcionar a informação e o conhecimento ao usuário, consolidando a sua função social nesse contexto qual seja, proporcionar ambientes informacionais e de conhecimento em saúde, de modo a atender eficazmente os diferentes públicos desses ambientes, sejam eles médicos, enfermeiros, assistentes sociais, especialistas e técnicos em diagnósticos, por exemplo.

Tal fato confirma, que os campos de atuação tradicionais não são mais as únicas opções para o bibliotecário, que, hoje, pode atuar em áreas antes não imaginadas e sequer consideradas. Trabalhar com fluxo de informação e documentos distintos ao de uma biblioteca tradicional e seus tão relevantes livros, comprova que o bibliotecário é um profissional dinâmico e pode ser protagonista em diversos ambientes.

Autoras
Angela Schmidt da Rosa Bibliotecária ESP SC - CRB 14/1171
Leila Mello Pioner Núcleo Pós-Graduação ESP/SC.