Revista de Saúde Pública de Santa Catarina, Vol. 1, No 1 (2008)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A Vigilância Permanente da Saúde e o Método Epidemiológico

Luis Antonio Silva

Resumo


O artigo procura demonstrar que a utilização do método epidemiológico, seja através dos modelos explicativos da epidemiologia, seja através do emprego, mesmo que parcial, das atribuições inerentes e especificas a cada vigilância (epidemiológica, sanitária, ambiental), ou mesmo da atenção primária enquanto elemento central de aplicação deste método, possibilita incorporar o maior conhecimento possível, combinando diversas tecnologias para intervir sobre essa realidade e, ao mesmo tempo, superar a visão isolada e fragmentada na formulação das políticas de saúde e na organização das ações e dos serviços. Apesar de ainda ser empregado de maneira restrita, surge agora dentro de um sistema unívoco a perspectiva de se ratificar definitivamente uma nova proposta de vigilância permanente da saúde. Não obstante, tratar-se de uma definição complexa em decorrência dos crescentes avanços epistemológicos, metodológicos e técnicos, e por ser uma disciplina multidisciplinar por excelência, a epidemiologia alcança um amplo espectro de aplicações em diversas áreas, permitindo que o uso do método epidemiológico dê conta de grande parcela dessas mudanças necessárias e preconizadas pelo Sistema Único de Saúde.


Texto Completo: PDF

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Essa revista é melhor visualizada no navegador MOZILLA FIREFOX.

ISSN: 2175-1323 - R. Saúde públ. Santa Cat. Florianópolis, Santa Catarina - Brasil